Multidão acolhe Francisco no Sri Lanka

Publicado em 13/01/2015 | Categoria: Notícias |


 papa

O Papa Francisco já se encontra em terras do Sri Lanka. De fato o avião papal tocou terra às 8.51h, hora local, depois de 9.40h de voo, dando início à sua 7ª Viagem Apostólica internacional. Na descida das escadas do avião o Papa recebeu de duas crianças 72 folhas de “Beetle”, uma espécie de folha que se mastiga com o tabaco (uma tradição de boas-vindas) e o tradicional “garland”, um colar de flores com as cores branca e amarela. Em seguida as boas-vindas do Presidente do Sri Lanka, Maithripala Sirisena, que tomou posse do governo dias atrás após a vitória nas eleições de 8 de janeiro.

 

Boas-vindas

 

Cantos e danças tradicionais acolheram o Papa, junto com um elefante que deu também as boas-vindas ao Papa: uma tradição do Sri Lanka de dar as boas-vindas e desejar boa sorte. Na sequência as honras militares, a execução dos hinos do Vaticano e do Sri Lanka e a salva de 21 tiros de canhões. Um coral de crianças da periferia de Colombo cantou para Francisco dando as boas-vindas em inglês, italiano, cingalês e tâmil. No canto pediram a bênção do Santo Padre e a paz para o país.

O Presidente Sirisena tomou a palavra saudando o Papa Francisco dizendo que era o seu primeiro discurso como presidente e era para dar as boas-vindas ao Santo Padre.

Já o Santo Padre nas suas primeiras palavras em terras cingalesas disse que sua visita tem um caráter antes de tudo pastoral, porque o Pontífice deve encorajar os católicos do Sri Lanka e rezar com eles. O momento central será a canonização do Beato José Vaz. Mas a sua presença também é a expressão do amor e da preocupação da Igreja por todo o povo. Recordou os anos da guerra civil, a necessidade de curar as feridas e a consolidação da paz. E concluiu pedindo que os dias da sua visita sejam dias de amizade, diálogo e de solidariedade.

O Santo Padre chega a um país que ainda sofre as consequências da guerra civil de 1983-2009 entre a maioria cingalesa e a minoria tâmil, e que deixou mais de 100 mil mortos. Hoje está em andamento um processo de reconciliação nacional.

 

O Sri Lanka em dados

 

O Sri Lanka, país insular do Sul da Ásia, constituído pela ilha de Ceilão e por pequenas ilhas adjacentes, situa-se no Oceano Índico e ocupa uma área de cerca 65 mil km2.

A economia baseia-se no chá, têxteis e turismo. A agricultura contribui com cerca de 1/4 do PIB; contudo, o país não produz o suficiente para as suas necessidades. São produzidos cereais, algodão, borracha e chá.

A população é de cerca 20 milhões de habitantes. A civilização do Sri Lanka remonta ao século VI a. C. Os povos mais antigos da ilha são os tâmiles e os cingaleses. Os cingaleses constituem 83% dos habitantes do país, os tâmeis representam 9% e os mouros do Sri Lanka 8%. As principais religiões são o budismo (69%), o hinduísmo (16%), o islamismo (8%) e o cristianismo (8%). O tâmul (ou tâmil) e o cingalês são as línguas nacionais – embora o cingalês seja a oficial e o inglês uma língua também bastante falada.

Dizem os budistas que Buda deixou a marca do seu pé no topo do pico de Adão, uma montanha situada nas terras altas do Centro-sul e que se eleva a 2243 metros de altitude; os hindus afirmam que a pegada foi deixada pelo deus Xiva e os muçulmanos atribuem-na a Adão, por isso, o local é ponto de encontro de peregrinos de todas estas religiões. Existem por toda a ilha templos e estátuas budistas e monges com suas vestes típicas.

O Papa Francisco chega ao Sri Lanka e depois prossegue para as Filipinas, trazendo na sua bagagem uma mensagem de reconciliação aos cingaleses. Uma viagem que representa um sinal consistente da sua atenção ao continente asiático.

 

Igreja cingalesa

 

Como se preparou o Sri Lanka para receber o Papa. Quem nos responde é o seu anfitrião o Cardel Ramjith….

“Fizemos uma campanha de orações que teve início 3 meses atrás, depois uma novena nos últimos 9 dias e ainda continuamos a oração nas paróquias e nos pequenos grupos, como nas comunidades de base, e assim nos preparamos espiritualmente, de uma parte, e da outra preparamos junto com o governo todas as coisas necessárias para tornar a sua visita fácil”.

Durante esta visita o Papa Francisco vai usar inglês em todos os discursos e homílias, língua que tem praticado com a ajuda de um dos intérpretes da Secretária de Estado vaticana, Mark Milles que o acompanha na viagem.

Presente também no aeroporto junto com os líderes religiosos do país, o Núncio Apostólico no Sri Lanka, Dom Pierre Nguyên Van Tot que nos falou sobre como o povo do Sri Lanka esperou o Papa….

O Papa depois de deixar o Aeroporto Internacional foi recebido ao longo de toda a estrada que o trouxe a Colombo por milhares de fiéis católicos mas não somente por eles. Pudemos notar que pessoas de religiões diversas, budistas, hinduístas e muçulmanos também deram as suas boas-vindas ao Sucessor de Pedro, inclusive muitos budistas acompanhados com elefantes que deram o tom da alegria pela chegada do Papa. As ruas enfeitadas com bandeiras do Vaticano e do Sri Lanka chamam a atenção junto com a expressão em cingalês “ayobowan” e em tâmil “wanakkam” , bem-vindo Santo Padre.

 

Programação

 

Francisco se dirigiu diretamente para a sede da Nunciatura Apostólica cancelando o encontro previsto na Arquidiocese de Colombo com os 20 bispos do Sri Lanka. Os bispos tinha já se encontrado com o Papa no último mês de maio durante a visita “ad Limina” ao Vaticano.

Ainda hoje os compromissos de Francisco o levam à residência do Presidente Sirisena para uma visita de cortesia. No final da tarde o encontro inter-religioso no Centro de Congressos Bandaranaike, primeiro-ministro do país entre 1956 e 1957. O Centro foi uma doação da República Popular da China. Presentes vários expoentes religiosos do país com cerca mil representantes de suas comunidades, budistas, hinduístas, muçulmana e algumas confissões cristãs.

O Papa retorna depois à sede da Nunciatura Apostólica onde passa a noite. Dos estúdios da Rádio Vaticano, em Colombo, Sri Lanka, Silvonei José

 

 

papa colombo

Francisco: “Vim encorajar e rezar com vocês”


No aeroporto de Colombo, o Papa foi recebido com uma cerimônia de boas-vindas com a presença de autoridades civis e militares. Após a execução dos hinos cingalês e vaticano, o Presidente do país saudou o Papa e em seguida, Francisco fez o seu primeiro discurso em solo cingalês, agradecendo inicialmente pela recepção calorosa.

“Há muito que eu esperava por esta visita ao Sri Lanka e os dias que passaremos juntos”, disse Francisco, feliz pela presença dos líderes religiosos, “que têm um papel tão importante na vida deste país”.

Explicando o porquê desta visita, disse que seu caráter é primariamente pastoral: “Um ponto central será a canonização do Beato José Vaz, cujo exemplo continua a servir-nos de inspiração e lição ainda hoje”, adiantou.


Guerra civil e reconciliação

 

O Papa não se deteve às formalidades e tocou pontos sensíveis da realidade cingalesa: “Durante muitos anos, o Sri Lanka conheceu os horrores do conflito civil e agora tem procurado consolidar a paz e curar as feridas daqueles anos. Só se pode conseguir, superando o mal com o bem e cultivando aquelas virtudes que promovem a reconciliação, a solidariedade e a paz”.

Francisco ressaltou o papel de todos os fiéis no delicado processo de reconciliação e reconstrução em curso neste país: “Para isso, é preciso que todos os membros da sociedade trabalhem juntos; todos devem ter voz; devem ser livres de expressar as suas preocupações, as suas necessidades, as suas aspirações e os seus temores. A diversidade não deve ser vista como uma ameaça, mas como uma fonte de enriquecimento”.

Terminando, o Pontífice fez votos de que os líderes políticos, religiosos e culturais do Sri Lanka prestem uma contribuição duradoura para o progresso material e espiritual do povo do país.

(CM)

 

Fonte: Rádio Vaticano



Os comentários estão desativados.