Para Paulo VI, só a caridade pode gerar o autêntico progresso dos povos

Publicado em 06/06/2019 | Categoria: Notícias |


 

Foi apresentado no dia 04/06, no Palazzo Borromeo, em Roma, o livro “A caridade, motor de todo progresso social – Paulo VI, a Popolorum Progressio e a FAO”.

A obra da autora Patrizia Moretti reúne as reflexões do seminário de estudo, de mesmo nome, realizado em 7 de novembro de 2017, em Roma. As várias contribuições refletem sobre a relação entre o Papa Paulo VI e o Fundo das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) e sobre os seus pensamentos em relação ao desenvolvimento dos povos e do ser humano.

O livro publicado pela Editora Studium é o resultado da colaboração entre a Província Italiana dos Irmãos das Escolas Cristãs (IEC) e a Missão Permanente da Santa Sé na FAO-FIDA-PMA, guiada pelo observador, mons. Fernando Chica Arellano.

 

“ Os progressos científicos mais extraordinários, as invenções técnicas mais assombrosas, o desenvolvimento econômico mais prodigioso, se não estiverem unidos a um progresso social e moral, voltam-se, necessariamente, contra o homem (Paulo VI no 25º aniversário da FAO). ”

 

Caridade, motor de todo progresso social

“Se a necessidade, o interesse são para os homens motivos fortes de ação, muitas vezes determinantes, a crise atual não poderá ser superada, a não ser através do amor. A caridade, que significa amor fraterno, é o motor de todo progresso social.”

O Papa Paulo VI proferiu estas palavras, em 16 de novembro de 1970, aos membros da FAO.

A FAO, comprometida no combate à fome, estava comemorando na ocasião 25 anos de atividades e Paulo VI foi um grande amigo da FAO, desde os seus primeiros desenvolvimentos.

Ele foi o primeiro Papa a visitar a FAO na sede romana, colocada à disposição do governo italiano, onde foram também todos os seus sucessores. O Papa Francisco foi três vezes.

O apelo do Papa Montini à fraternidade universal, semente de paz duradoura, a descrição de um modelo econômico e ético-social diferente, o diálogo apresentado como uma solução para os conflitos internacionais, parecem hoje extraordinariamente atuais e ainda um apelo válido para os líderes mundiais hoje e para cada um de nós.

Paulo VI e a visão global da humanidade

Após as saudações do embaixador italiano junto ao Vaticano, Pietro Sebastiani, na apresentação, além da autora do livro, tomou a palavra Daniel Gustafson, vice-diretor geral da FAO; Vincenzo Buonomo, reitor da Pontifícia Universidade Lateranense; e Gabriele Di Giovanni, visitador provincial da Itália do IEC. As conclusões foram feitas pelo mons. Fernando Chica Arellano que resumiu a mensagem da qual o volume quer ser portador.

Mons. Arellano enfatizou que Paulo VI, em particular na Encíclica “Populorum Progressio” de 1967, identificou “como tarefa principal da Igreja, a de oferecer aos homens e suas aspirações o que possui: uma visão global do homem e da humanidade. Mons. Arellano espera, para as pessoas que lerem o livro, que o pensamento de Paulo VI “possa ​germinar em campos estimulantes de aplicação, capazes de apoiar a fraternidade: autêntica cifra evangélica para a busca do bem comum”.

Mons. Arellano: o tema da fome está inscrito no Evangelho

Antes de entrar profundamente na visão do Papa Montini, mons. Arellano explicou nos microfones do Vatican News, por que Paulo VI estava convencido de que a Igreja deveria fazer ouvir a sua voz sobre o tema do desenvolvimento:

Mons. Arellano: “Paulo VI estava convencido disso porque a Igreja é especialista em humanidade: quando ele foi a Nova Iorque, no Palácio de Vidro para falar às Nações Unidas, foi o primeiro pontífice, apresentou-se como um homem especialista em humanidade, a Igreja como especialista em humanidade e disse que todas as questões que preocupavam o homem, a sociedade e as nações também eram preocupação da Igreja. Pensamos que o tema da fome, antes de ser escrito no mandato da FAO, está escrito no coração do Evangelho. O faminto é uma preocupação de todo cristão, antes que das Nações Unidas e da Igreja.”

Para Paulo VI, as dificuldades entre os Estados e os povos deveriam sempre ser enfrentadas com o diálogo. Foi fácil falar de diálogo, então?

Mons. Arellano: “Nunca é fácil falar de diálogo, mas é uma obrigação. Realmente, o diálogo será sempre o caminho da Igreja e também o caminho que a comunidade internacional deve percorrer. É a única arma que temos: falar, dialogar, colocar-se à disposição de abrir o coração para encontrar uma saída, um consenso, um caminho que possamos percorrer juntos. O diálogo não é uma moda, é uma obrigação. Certamente, não será fácil, mas é sempre necessário. Jamais a violência, jamais guerra. Não são métodos, maneiras de encontrar soluções para os conflitos, os problemas que nos afligem.”

No centro do pensamento do Papa Montini está a pessoa, não apenas o povo. O que isso acrescenta na reflexão sobre o progresso?

Mons. Arellano: “É assim. O verdadeiro progresso da humanidade não é econômico, o verdadeiro progresso é quando, no meio do desenvolvimento humano, não existe apenas o benefício, o dinheiro, mas a preocupação por todas as pessoas e pela pessoa em sua integridade, alma, corpo, mente, esperanças, alegrias e preocupações. O todo da pessoa: esta foi realmente a grande percepção deste grande pontífice, Paulo VI. É uma ideia que todos os seus sucessores repetiram. João Paulo II, Bento XVI e até mesmo o Papa Francisco disseram isso. Muitos colocam no centro o dinheiro, uma economia que mata. Em vez disso, o homem realmente progride quando é colocado no centro de tudo.”

O livro apresentado hoje é intitulado “Caridade, o motor de todo progresso social”. Amor, portanto, como um trampolim para a ação…

Mons. Arellano: “Essas palavras do título são as palavras de Paulo VI à FAO. Paulo VI sempre disse que a alma do progresso é a caridade, e também a alma da paz é a caridade. Paulo VI fez da caridade, do amor, não apenas virtude, digamos doméstica, entre as pessoas, mas a chave para a relação entre a comunidade internacional, os povos, todo o progresso social. Isso também foi repetido pelo Papa Francisco quando ele foi à FAO no Dia Mundial da Alimentação em 2017: fazer realmente do amor a chave do desenvolvimento, da ajuda. Sem amor, o mundo se torna sombrio, com o amor existe o futuro.”

Cerca de 50 anos atrás, o apelo à fraternidade universal e à conversão de toda a economia, para alimentar aqueles que não tinham comida, feito por Paulo VI, dirigindo-se aos líderes das nações e instituições supranacionais: um apelo reproposto pelos sucessivos Papas, como o senhor lembrou. Pergunto: quanto ainda há para fazer!

Mons. Arellano: “Infelizmente, devemos dizer que as palavras de Paulo VI são muito atuais e isso significa que devemos continuar lutando porque a fome da qual Paulo VI falou, em 1970, não desapareceu: 821 milhões de pessoas hoje passam fome. Isso é um escândalo, é uma injustiça. Este é um chamado para nós, um chamado a continuar lutando. A fome deveria ser uma peça de museu, deveria pertencer a um livro antigo, mas infelizmente existe. É por isso que as palavras de Paulo VI e suas expectativas continuam mais vivas do que nunca hoje, e nos encorajam a continuar lutando. Nós devemos ser a geração da “fome zero” porque o único número que serve para a fome é o 0. Então, vamos continuar lutando, é possível vencê-la. Para fazer isso, precisamos apenas de uma coisa: conjugar o verbo querer. É preciso ter vontade. Temos todos os recursos para superar a fome, o que falta é a vontade de vencê-la. Devemos estar conscientes de que todos nós, com uma harmonia de esforços, devemos acabar com esse flagelo que faz com que muitos de nossos irmãos sofram, e muitos deles, crianças.”

“ O homem, que soube conquistar o átomo e vencer o espaço, saberá, finalmente, a dominar o seu egoísmo? (…). Trata-se, obviamente, de transformar uma economia, frequentemente caracterizada pelo poder, pelo esbanjamento e pelo temor, numa economia de serviço e de fraternidade (Paulo VI no 25º aniversário da FAO). ”

 

Fonte: Vatican News – Adriana Masotti/Mariangela Jaguraba



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Vídeos


Assista mais...

A Voz do Pastor

Notícias em Destaque

Juventude Orionita em Niterói. Evento reuniu mais de 500 jovens na Paróquia Espaço de Ludicidade e Leitura é inaugurado na Creche Dom Orione Festejando São Francisco Xavier Salão nobre da Igreja Matriz é inaugurado Missa Domingo de Ramos na Cachoeira Encerramento das Festividades de São Luis Orione Celebrando a Caridade: São Luis Orione! Festa de Natal 2016: sua doação com destino certo Festejando o dia de São Francisco Xavier Assembleia Paroquial 2016 Capela das Almas Mês Vocacional Dia dos Pais Dia do Padre Festa Junina 2016 da Paroquia São Francisco Xavier Missa em memória de Santo Antônio Festa do Imaculado Coração de Maria Festividades em Honra ao Sagrado Coração de Jesus Padre Jô visita a Paroquia e nos encanta com seu canto e seu carinho. Dia da Ascensão do Senhor, dia das Mães e 50º Dia Mundial das Comunicações Sociais. Nosso novo Pároco, padre Magno, seja bem-vindo! Batizados: os novos membros da Comunidade Paroquial Henrique: “Viver e dar a vida cantando o Amor!” Salve São Francisco Xavier, Padroeiro das Missões! Paroquianos homenageiam São Francisco Xavier Pe. Anísio fala da importância da confiança e dependência em Deus. Viva a Vida do Pe. Geraldo Dias! Romaria da Família Orionita ao Santuário de Aparecida do Norte Paroquianos participam da Romaria Arquidiocesana a Aparecida Missa na Capela Imaculado Coração de Maria: “Criai ânimo, não tenhais medo!” Missa da Ascensão do Senhor, Dia das Comunicações Sociais e Dom Orione Missa na capela São João Paulo II Festa na Capela Bom Pastor e Homilia do papa Francisco Assembleia Paroquial 2015 Missa de São Francisco Xavier Paróquia em Fests Missa de Nossa Senhora das Graças Movimento Shoenstatt unido pela Catedral O desafio da solidariedade Um dia voltado à ação social na Cachoeira Vigília Missionária, mais um passo rumo a unidade! Pascom comemora com missas o 48º Dia Mundial das Comunicações Sociais Caminhando rumo a Fraternidade Posse do Pe. Geraldo Dias, novo pároco da Paróquia. Inaugurada a Capela São Luiz Orione Pe. Jô é homenageado no “Encontro Musical” Novo endereço do site da Paróquia Novo Pároco da Paróquia São Francisco Xavier Dia de São Francisco Xavier Missa de Nossa Senhora das Graças Nossos jovens, protagonistas da história Assembleia Paroquial 2013: Recomeçar em Jesus Cristo! As Vocações na Igreja Semana da Família: o valor do testemunho transmitido Semana da Família 2013 Visita do Papa ao Brasil- Jornada Mundial da Juventude 2013 Missa dominical, com muitos motivos para render Graças Assembleia Paroquial - 2013 Peregrinação da Paróquia São Francisco Xavier Cristo ressuscitou! Feliz Páscoa! Caminhada da juventude com Cristo! Primeira Missa do Papa Francisco Primeiro Angelus – Papa Francisco Habemus Papam !!! Jorge Mario Bergoglio – Papa Francisco Bento XVI comunica a sua renúncia como Papa Paroquianos acolhem o novo Vigário Paroquial Saudade-Missao-Disponibilidade Celebração Eucarística - São Francisco Xavier Festejando São Francisco Xavier Celebração Eucarística da Crisma Festa da Pastoral de Conjunto Ano da Fé Uma análise geral do Sínodo Mensagem final do Sínodo O silêncio e a nova evangelização O papel o leigo na missão da Igreja Paróquia em Ação no mês das missões Paróquia Celebra o Dia Mundial da Missões Série 50 anos do Vaticano II Dia do Catequista Paróquia realiza assembleia para a construção da unidade paroquial Semana da Família Mensagem de agradecimento aos dizimistas Pastoral da Juventude Renovada Festa Junina 2012 Apresentação da Pastoral do Meio Ambiente Corpus Christ Em comunhao com a Santissima Trindade Apresentacao da pascom 20 de maio 2012 Missa de Pentecostes Missa da Ascensao do Senhor