Pai Nosso, Jesus nos ensina a orar

Publicado em 23/07/2016 | Categoria: Mesa da Palavra Notícias |


liturgia

 

Liturgia da Missa – Reflexão para a Mesa da Palavra 

Ano C – XVII domingo do tempo comum 

 

 

Jesus estava rezando num certo lugar. Quando terminou, um de seus discípulos pediu-lhe: ‘Senhor, ensina-nos a rezar, como também João ensinou a seus discípulos.’ Jesus respondeu: ‘Quando rezardes, dizei: `Pai, santificado seja o teu nome. Venha o teu Reino. Dá-nos a cada dia o pão de que precisamos, e perdoa-nos os nossos pecados, pois nós também perdoamos a todos os nossos devedores; e não nos deixes cair em tentação’.’ E Jesus acrescentou: ‘Se um de vós tiver um amigo e for procurá-lo à meia-noite e lhe disser: `Amigo, empresta-me três pães, porque um amigo meu chegou de viagem e nada tenho para lhe oferecer’, e se o outro responder lá de dentro: ‘Não me incomoda! Já tranquei a porta, e meus filhos e eu já estamos deitados; não me posso levantar para te dar os pães’; eu vos declaro: mesmo que o outro não se levante para dá-los porque é seu amigo, vai levantar-se ao menos por causa da impertinência dele e lhe dará quanto for necessário.Portanto, eu vos digo: pedi e recebereis; procurai e encontrareis; batei e vos será aberto. Pois quem pede, recebe; quem procura, encontra; e, para quem bate, se abrirá. Será que algum de vós que é pai, se o filho pedir um peixe, lhe dará uma cobra? Ou ainda, se pedir um ovo, lhe dará um escorpião? Ora, se vós que sois maus, sabeis dar coisas boas aos vossos filhos, quanto mais o Pai do Céu dará o Espírito Santo aos que o pedirem! ‘ Lc. 11, 1-13

oracao

             “Papai, Jesus também rezava?”

A criança, pergunta ao pai após orarem antes de comer. “Sim, meu filho. Ele, inclusive nos ensinou uma oração. Foi a única que nos deixou e nela nos incentiva a pedir. Diz que se nos colocarmos como verdadeiros filhos, humildes e dependentes, o Pai atenderá naquilo que precisarmos. E só Ele sabe do que necessitamos para sermos felizes e realizados.” São Lucas continua a nos relatar a subida do Senhor rumo a Jerusalém. Nessa caminhada faz uma parada para rezar. É assim que ele dá início à narração do Evangelho deste domingo e este detalhe é algo que merece a atenção. Teve gente no passado que chegou a pensar que Jesus não precisava rezar e que só fazia isto para “nos dar exemplo”. Que triste seria se fosse assim, pois significaria que estaria fingindo, ou “brincando de rezar”. Jesus não ora para nos dar exemplos. Ele reza porque quer estar totalmente unido ao Pai. É esta intimidade, vivida através da oração, que lhe dará a força e a coragem para o cumprimento da missão. Não existe cristão sem estar ligado a Deus e esta união se dá através da prece. É por isto que Lucas continua a nos dizer que ao terminar de rezar, um dos discípulos lhe pede para que lhes instrua neste caminho para Deus. Ao ensinar-lhes a orar Jesus mostra que não basta seguir com Ele na caminhada, mas que há necessidade também de estar em comunhão com o Pai e o Espírito Santo. Nosso Deus é Trindade, é o que também lhes dizia ao passar-lhes o Pai Nosso.

Jesus é bastante enfático na continuação do Pai Nosso, ao nos reforçar que precisamos pedir. O reforço dado por Ele, insistindo na petição é para que tenhamos consciência da sua importância. Ensina-nos isto, ao mesmo tempo em que nos conta que o Pai, muito mais do que qualquer um de nós, é bom e sempre atende naquilo que seja necessário aos filhos.

Pedir não quer dizer que Deus não saiba do que necessitamos. Ele nos conhece fundamentalmente, porque todo dia está nos criando, conhece-nos muito mais do que nós mesmo nos conhecemos. É preciso termos sempre em conta de que muito antes de sabermos do que é preciso para sermos felizes (e quantas vezes nos enganamos), Ele já o sabe. O Pai cuida de nós e um segundo sequer que nos faltasse, cairíamos numa espécie de “buraco negro”, Entraríamos no vazio total e não seriamos absolutamente nada.

Jesus ensina-nos para que peçamos, porque o Amor sempre solicita atos e palavras que confirmem sua presença. Amar tem disso: pede que se ofereça demonstrações ao amado de que se está bem próximo e na mesma sintonia, ao mesmo tempo em que lhe fazemos votos para que esteja também cada dia ainda mais perto da gente. Isto, vai num crescendo, até nos configurarmos naquele que amamos. Quem ama sabe da necessidade de estar sempre ouvindo do(a) amado(a) a repetição do seu Amor.

Na versão de Lucas o Pai Nosso tem cinco petições, sendo um pouco mais curto e simples do que a versão que costumamos rezar, vindo da tradição de Mateus e possuindo sete pedidos. Não que um esteja certo e, o outro equivocado. Nem que um evangelista se esqueceu de uma parte, ou o outro esticou o que se rezava. Nas comunidades conhecidas por Lucas se orava assim, enquanto nas influenciadas por Mateus se rezava da forma que nos é mais familiar.

A primeira leitura nos traz também o tema da oração através da conversa instigante de Abraão com o Senhor. Nesse diálogo do Gênesis há o costume de vermos muito mais a questão do castigo de Deus sobre as cidades e da justiça, por conta da possibilidade de haver justos a pagar, por aqueles que praticam o mal.

Esta forma de leitura pode ser meio literalista e por isto fora do foco. O convite que lhes faço é para que invertamos a situação. Que tal trazermos este diálogo para os dias de hoje nas nossas cidades? Ao fazer isto é possível que tenhamos novos olhares sobre esta tão interessante conversa. Quem as castiga não é Deus, que é todo bom e muito menos os justos que vivem nelas.

Quem as pune são os maus. Quanto maior for o tamanho da maldade, o número dos maus, existentes numa determinada cidade, mais esse lugar estará destruído na quantidade e qualidade de vida dos seus habitantes. Nelas os justos acabam se tornando reféns daqueles que praticam a iniquidade. Basta, para quem vive nas grandes metrópoles, darem uma olhada à volta para sentirem isto. O que Deus nos convida a ver é que enquanto houver cinqüenta, vinte, dez, ou mesmo só um justo na cidade, estará viva a possibilidade da sua salvação.

Ao escrever aos Colossenses Paulo nos resgata imagem muito bonita. A forma como se realizam os batizados entre nós, pode ter feito com que ela ficasse meio escondida ou distante do nosso olhar. Ao dizer que pelo Batismo somos sepultados, ele nos quer remeter à representação da forma original desse Sacramento, por imersão, Mergulhados totalmente na água, tornava-se mais patente o simbolismo da morte para o pecado e início de nova vida, ao emergir como ressuscitados em Cristo.

 

Para reflexão durante a semana:

 

– Como tenho rezado o Pai Nosso? De maneira automática?

– Sinto que o Pai Nosso me leva à intimidade do colo do Pai?

– Quando peço, confio que serei atendido?

Fernando Cyrino


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Vídeos


Assista mais...

Audiência Geral do Papa – 28/08

A Voz do Pastor

Notícias em Destaque

Visita guiada na Igrejinha Histórica 6 casais recebem sacramento do matrimônio em casamento comunitário Assembleia Paroquial 2019: Como podemos evangelizar melhor? ENAJO - Missa de encerramento Juventude Orionita em Niterói. Evento reuniu mais de 500 jovens na Paróquia Espaço de Ludicidade e Leitura é inaugurado na Creche Dom Orione Festejando São Francisco Xavier Salão nobre da Igreja Matriz é inaugurado Missa Domingo de Ramos na Cachoeira Encerramento das Festividades de São Luis Orione Celebrando a Caridade: São Luis Orione! Festa de Natal 2016: sua doação com destino certo Festejando o dia de São Francisco Xavier Assembleia Paroquial 2016 Capela das Almas Mês Vocacional Dia dos Pais Dia do Padre Festa Junina 2016 da Paroquia São Francisco Xavier Missa em memória de Santo Antônio Festa do Imaculado Coração de Maria Festividades em Honra ao Sagrado Coração de Jesus Padre Jô visita a Paroquia e nos encanta com seu canto e seu carinho. Dia da Ascensão do Senhor, dia das Mães e 50º Dia Mundial das Comunicações Sociais. Nosso novo Pároco, padre Magno, seja bem-vindo! Batizados: os novos membros da Comunidade Paroquial Henrique: “Viver e dar a vida cantando o Amor!” Salve São Francisco Xavier, Padroeiro das Missões! Paroquianos homenageiam São Francisco Xavier Pe. Anísio fala da importância da confiança e dependência em Deus. Viva a Vida do Pe. Geraldo Dias! Romaria da Família Orionita ao Santuário de Aparecida do Norte Paroquianos participam da Romaria Arquidiocesana a Aparecida Missa na Capela Imaculado Coração de Maria: “Criai ânimo, não tenhais medo!” Missa da Ascensão do Senhor, Dia das Comunicações Sociais e Dom Orione Missa na capela São João Paulo II Festa na Capela Bom Pastor e Homilia do papa Francisco Assembleia Paroquial 2015 Missa de São Francisco Xavier Paróquia em Fests Missa de Nossa Senhora das Graças Movimento Shoenstatt unido pela Catedral O desafio da solidariedade Um dia voltado à ação social na Cachoeira Vigília Missionária, mais um passo rumo a unidade! Pascom comemora com missas o 48º Dia Mundial das Comunicações Sociais Caminhando rumo a Fraternidade Posse do Pe. Geraldo Dias, novo pároco da Paróquia. Inaugurada a Capela São Luiz Orione Pe. Jô é homenageado no “Encontro Musical” Novo endereço do site da Paróquia Novo Pároco da Paróquia São Francisco Xavier Dia de São Francisco Xavier Missa de Nossa Senhora das Graças Nossos jovens, protagonistas da história As Vocações na Igreja Semana da Família: o valor do testemunho transmitido Semana da Família 2013 Visita do Papa ao Brasil- Jornada Mundial da Juventude 2013 Missa dominical, com muitos motivos para render Graças Peregrinação da Paróquia São Francisco Xavier Cristo ressuscitou! Feliz Páscoa! Caminhada da juventude com Cristo! Primeira Missa do Papa Francisco Primeiro Angelus – Papa Francisco Habemus Papam !!! Jorge Mario Bergoglio – Papa Francisco Bento XVI comunica a sua renúncia como Papa Paroquianos acolhem o novo Vigário Paroquial Saudade-Missao-Disponibilidade Celebração Eucarística - São Francisco Xavier Festejando São Francisco Xavier Celebração Eucarística da Crisma Festa da Pastoral de Conjunto Ano da Fé Uma análise geral do Sínodo Mensagem final do Sínodo O silêncio e a nova evangelização O papel o leigo na missão da Igreja Paróquia em Ação no mês das missões Paróquia Celebra o Dia Mundial da Missões Série 50 anos do Vaticano II Dia do Catequista Paróquia realiza assembleia para a construção da unidade paroquial Semana da Família Mensagem de agradecimento aos dizimistas Pastoral da Juventude Renovada