O exercício da liberdade nos levará ao seguimento do Senhor

Publicado em 03/09/2016 | Categoria: Mesa da Palavra Notícias |


liturgia

Liturgia da Missa – Reflexão sobre a Mesa da Palavra

 Ano C  XXIII Domingo do Tempo Comum

 

Grandes multidões acompanhavam Jesus. Voltando-se, ele lhes disse: ‘Se alguém vem a mim, mas não se desapega de seu pai e sua mãe, sua mulher e seus filhos, seus irmãos e suas irmãs e até da sua própria vida, não pode ser meu discípulo. Quem não carrega sua cruz e não caminha atrás de mim, não pode ser meu discípulo. Com efeito: qual de vós, querendo construir uma torre, não se senta primeiro e calcula os gastos, para ver se tem o suficiente para terminar? Caso contrário, ele vai lançar o alicerce e não será capaz de acabar. E todos os que virem isso começarão a caçoar, dizendo: ‘Este homem começou a construir e não foi capaz de acabar!’ Ou ainda: Qual o rei que ao sair para guerrear com outro, não se senta primeiro e examina bem se com dez mil homens poderá enfrentar o outro que marcha contra ele com vinte mil? Se ele vê que não pode, enquanto o outro rei ainda está longe, envia mensageiros para negociar as condições de paz. Do mesmo modo, portanto, qualquer um de vós, se não renunciar a tudo o que tem, não pode ser meu discípulo!’ Lc 14, 25-33
 
 

cruz mesa da palavra

                                       Era uma vez um homem que vivia só para ajuntar coisas. Tudo aquilo que via e achava que poderia ser útil, logo dava um jeito de tê-lo junto. A justificativa ele a tinha na ponta da língua: “Ttenho que ajuntar, porque ninguém sabe como será o dia de amanhã”. De tanto acumular ele teve que dar um jeito de tornar, cada dia maiores, os depósitos onde guardava seus bens. Passado algum tempo e ele nem podia mais sair de casa, porque desconfiava de todos. Achava que todo mundo queria tomar daquilo que tinha ajuntado. Tornou-se incapaz de identificar alguém em quem pudesse confiar. Seus amigos até o aconselhavam: “livre-se disso tudo. Essas tralhas não têm utilidade nenhuma”. Mas nosso homem se mantinha irredutível. Nada do que tinha recolhido poderia ser por ele disponibilizado. Mesmo que acontecesse o caso de haver alguém que muito precisasse daquilo. A coisa se tornou pior ainda. É que nessa ânsia de guardar, ele também passou a se achar dono dos parentes, amigos e empregados. Primeiro discretamente e depois sem nem mais disfarçar, considerava como posse todos aqueles de quem gostava, ou que lhe prestavam serviços. Isto fazia com que os que lhe eram próximos se sentissem chateados e incomodados por se sentirem prisioneiros dele. Pensam que era só isto? O tal homem passou a guardar a própria vida. Ou seja, nem fazia mais nada, por medo de gastá-la com algo que não fosse tão importante, e ao fazer isto vinha sempre uma variação daquela frase: “o melhor é guardar a vida, porque ninguém sabe o que vai ser do dia de amanhã”. Rico de tanta coisa ele morreu sozinho e totalmente pobre de carinho, afeto e amor.

É dessa ânsia de juntar pessoas e coisas, numa falsa busca de segurança e felicidade que o Evangelho de hoje também quer nos falar. Não que devamos amar menos ou não cuidar dos entes queridos. Esta seria uma interpretação fundamentalista das palavras de Jesus.

Não se trata disto, mas sim do fato de não ser saudável que, sendo já adultos, vivamos com a mesma dependência que tínhamos dos pais, irmãos e amigos, dos tempos de criança. O alerta de Jesus é para que não sejamos imaturos. Para que deixemos o comportamento infantil, eis que agora somos homens e mulheres adultos. Responsáveis pela vida que nos é dada.

Nem se trata também de não termos o que é necessário para o sustento com dignidade. A atenção que precisamos tomar é com a forma como os bens são por nós utilizados. Eles estão conosco para nos servir e não para que sejamos servidos por eles, como acontecia no caso do imaturo homem da historinha.

Presos a tanta coisa, a tantos bens e pessoas, não estaremos abertos à vida, ou seja, à cruz que cada um carrega com todas as suas maravilhas e dificuldades. A cruz daquele que vive para acumular bens e se manter infantilmente preso às pessoas, é enorme e nenhum ser humano será capaz de transportá-la. E não dá para seguir Jesus sem carregar, junto conosco, a vida. Sem ela é impossível nos pormos a caminho. E sem estar na “estrada de Jerusalém”, como seguiremos Jesus?

O convite do Evangelho é para que não ajamos por impulso, iniciando a construção sem planejamento. Sairmos para recolher coisas, sem antes termos discernido se aquilo nos convém e nos trará o bem. Jesus nos estimula a termos uma convivência de maior liberdade com as pessoas e as coisas.

Somos todos filhos do mesmo Pai. Ninguém pode se arvorar em se considerar proprietário de ninguém. As coisas criadas também não são minhas. Elas estão à minha disposição, tanto quanto venham me ajudar a crescer como ser humano.

Podemos entender também mais este sentido dentro da segunda leitura. Ao escrever para Filêmon, Paulo pede a liberdade de Onésimo, escravo do destinatário e que estava na prisão com o apóstolo. Todos somos criados para a liberdade do Amor.

Ao considerarmos, tácita ou explicitamente, sermos “donos” do outro significará que não entramos ainda na dimensão do Amor da Trindade que nos é apresentado por Jesus como caminho para a Vida Plena. Estamos presos ao ter e não ao ser que nos levará um dia à liberdade, ao transcender na vida plena no Senhor.

 

Para reflexão nesta semana:

 

– A quantas anda a relação que tenho com as “coisas”?

– Até que ponto respeito a liberdade dos que vivem à minha volta?

– Como vivo o seguimento de Jesus levando comigo a cruz da vida que me é dada?

 
 
 
Fernando Cyrino


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Vídeos


Assista mais...

Audiência Geral do Papa – 28/08

A Voz do Pastor

Notícias em Destaque

Visita guiada na Igrejinha Histórica 6 casais recebem sacramento do matrimônio em casamento comunitário Assembleia Paroquial 2019: Como podemos evangelizar melhor? ENAJO - Missa de encerramento Juventude Orionita em Niterói. Evento reuniu mais de 500 jovens na Paróquia Espaço de Ludicidade e Leitura é inaugurado na Creche Dom Orione Festejando São Francisco Xavier Salão nobre da Igreja Matriz é inaugurado Missa Domingo de Ramos na Cachoeira Encerramento das Festividades de São Luis Orione Celebrando a Caridade: São Luis Orione! Festa de Natal 2016: sua doação com destino certo Festejando o dia de São Francisco Xavier Assembleia Paroquial 2016 Capela das Almas Mês Vocacional Dia dos Pais Dia do Padre Festa Junina 2016 da Paroquia São Francisco Xavier Missa em memória de Santo Antônio Festa do Imaculado Coração de Maria Festividades em Honra ao Sagrado Coração de Jesus Padre Jô visita a Paroquia e nos encanta com seu canto e seu carinho. Dia da Ascensão do Senhor, dia das Mães e 50º Dia Mundial das Comunicações Sociais. Nosso novo Pároco, padre Magno, seja bem-vindo! Batizados: os novos membros da Comunidade Paroquial Henrique: “Viver e dar a vida cantando o Amor!” Salve São Francisco Xavier, Padroeiro das Missões! Paroquianos homenageiam São Francisco Xavier Pe. Anísio fala da importância da confiança e dependência em Deus. Viva a Vida do Pe. Geraldo Dias! Romaria da Família Orionita ao Santuário de Aparecida do Norte Paroquianos participam da Romaria Arquidiocesana a Aparecida Missa na Capela Imaculado Coração de Maria: “Criai ânimo, não tenhais medo!” Missa da Ascensão do Senhor, Dia das Comunicações Sociais e Dom Orione Missa na capela São João Paulo II Festa na Capela Bom Pastor e Homilia do papa Francisco Assembleia Paroquial 2015 Missa de São Francisco Xavier Paróquia em Fests Missa de Nossa Senhora das Graças Movimento Shoenstatt unido pela Catedral O desafio da solidariedade Um dia voltado à ação social na Cachoeira Vigília Missionária, mais um passo rumo a unidade! Pascom comemora com missas o 48º Dia Mundial das Comunicações Sociais Caminhando rumo a Fraternidade Posse do Pe. Geraldo Dias, novo pároco da Paróquia. Inaugurada a Capela São Luiz Orione Pe. Jô é homenageado no “Encontro Musical” Novo endereço do site da Paróquia Novo Pároco da Paróquia São Francisco Xavier Dia de São Francisco Xavier Missa de Nossa Senhora das Graças Nossos jovens, protagonistas da história As Vocações na Igreja Semana da Família: o valor do testemunho transmitido Semana da Família 2013 Visita do Papa ao Brasil- Jornada Mundial da Juventude 2013 Missa dominical, com muitos motivos para render Graças Peregrinação da Paróquia São Francisco Xavier Cristo ressuscitou! Feliz Páscoa! Caminhada da juventude com Cristo! Primeira Missa do Papa Francisco Primeiro Angelus – Papa Francisco Habemus Papam !!! Jorge Mario Bergoglio – Papa Francisco Bento XVI comunica a sua renúncia como Papa Paroquianos acolhem o novo Vigário Paroquial Saudade-Missao-Disponibilidade Celebração Eucarística - São Francisco Xavier Festejando São Francisco Xavier Celebração Eucarística da Crisma Festa da Pastoral de Conjunto Ano da Fé Uma análise geral do Sínodo Mensagem final do Sínodo O silêncio e a nova evangelização O papel o leigo na missão da Igreja Paróquia em Ação no mês das missões Paróquia Celebra o Dia Mundial da Missões Série 50 anos do Vaticano II Dia do Catequista Paróquia realiza assembleia para a construção da unidade paroquial Semana da Família Mensagem de agradecimento aos dizimistas Pastoral da Juventude Renovada