A voz do pastor – Setembro

Publicado em 04/09/2012 | Categoria: Destaques Editorial |


Eis-me aqui, envia a mim

 

Amados irmãos e irmãs, o mês de setembro é dedicado à Bíblia. Neste mês, abraçamos uma oportunidade renovada, rica e especial para cultivar e alimentar uma verdadeira espiritualidade bíblica. Esta espiritualidade deve estar fundamentada na Palavra de Deus. E a Igreja do Brasil, com o tema: Discípulos Missionários a partir do Evangelho de Marcos e o lema: Coragem, levanta-te! O Senhor te chama!, convida-nos ao aprofundamento do Evangelho de São Marcos.

Quero falar de um personagem bíblico importante chamado Isaías. Ele é o mais popular de todos os profetas. Mas é o menos conhecido. Basta lembrar que, de tudo o que não se sabe dele, a primeira coisa é que os 66 capítulos do livro de Isaías não são todos dele. Na verdade, mais da metade do livro foi escrito por profetas anônimos. Quando lemos o Livro de Isaías, estamos lendo uma coletânea de oráculos proféticos de épocas bem diferentes, gente completamente desconhecida, que só chegou até nós porque alguém compilou todos os textos por volta do ano 400 AC. E a voz de quem não tem voz, o nome dos anônimos, a palavra dos esquecidos chegou até nós e grita, ainda hoje, com força e vontade, cada vez que abrimos o texto sagrado e, ao mesmo tempo, o coração.

Mas o que falaram Isaías e os outros profetas que se esconderam atrás do seu nome? Falaram muito das condições sociais e políticas em que se encontravam Judá e Samaria. É que eles não andavam contentes com o rumo das coisas. Sobretudo nos primeiros 39 capítulos, Isaías brada um julgamento que se iria abater sobre o país, porque havia problemas internos demais, e havia uma elite que se recusava a encarar estes problemas. Todo mundo comprava e vendia e fazia de conta que tudo ia bem. Mas não ia.

Só que a queixa de Isaías não tem tom político ou social. Na verdade, ele se queixa de que o povo tenha esquecido tão facilmente a aliança com Deus. É como se ele se lamentasse da memória curta que o povo tem! O Senhor? Ele, sim, é fiel. Seu amor continua como no primeiro dia. Mas Israel era incapaz de ver isso, revoltava-se contra ele, colocava Deus abaixo do boi e do jumento. “Ouvi, ó céus, prestai atenção, ó terra, porque o Senhor está falando: Criei filhos e fi-los crescer, mas eles se rebelaram contra mim. O boi conhece o seu dono, e o jumento, a manjedoura de seu senhor, mas Israel é incapaz de conhecer, o meu povo não consegue me entender” (Is 1,3).

Isaías fica pasmo. As pessoas continuam frequentando o Templo, sim. Mas para ele, isso não bastava. Encher o Templo com solenidade iníqua é um desvio perigoso (Is 1,10-20). Se quem vive levando oferendas para o Senhor é a mesma gente que não se importa em fazer o direito funcionar, que não faz justiça ao órfão e à viúva, então, tudo está de cabeça para baixo. “Que me importam os vossos inúmeros sacrifícios? Estou farto de holocaustos de carneiros e da gordura de bezerros, do sangue de touros e de cordeiros e de bodes. Nada disso me dá alegria, quando vindes à minha presença. Quem vos pediu que pisásseis os meus átrios? Basta de trazer-me oferendas vãs: elas são para mim um incenso abominável. Não posso suportar iniquidade e solenidade” (Is 1,11-13). E ele continua, mais contemporâneo que nunca: “Lavai-vos, purificai-vos! Tirai da minha vista as vossas más ações! Cessai de praticar o mal, aprendei a fazer o bem. Buscai o direito, corrigi o opressor. Fazei justiça ao órfão, defendei a causa da viúva” (Is 1,16-17). Irmãos, irmãs: vocês não enxergam nessas palavras nenhuma constrangedora atualidade?

Além de profeta, Isaías é poeta. O cântico da vinha (Is 5,1-7) é um poema lírico de beleza inconfundível, uma espécie de “canção de amor”. Deus é o agricultor e seu povo, uma vinha plantada com cuidado e carinho, mas que nada produziu. Isaías não cria expectativas falsas. Deus irá atuar. E quando Acaz, o rei, se recusa a pedir um sinal, o profeta lhe diz que o Senhor, por própria iniciativa, vai dar um sinal. Uma jovem mulher dará à luz um filho, e seu nome será Emanuel – Deus-conosco (Is 7,14). Queira Deus que essas palavras também aconteçam numa feliz atualidade!

Vocês devem estar pensando: Como terminou Isaías os seus dias, depois de 40 anos de atividade profética? Ora, ele terminou como terminam os profetas: angustiado por não ter sido ouvido. Ele viveu mais e viu mais do que todos os outros, mas ninguém quis ouvir o que ele viu. Ninguém quis viver da vida que ele conhecia. No século I DC, correu a lenda de que ele foi serrado ao meio. Verdade ou não, essa parece ser uma boa metáfora das angústias que dilaceram os verdadeiros profetas. Um trecho ficou conhecido como Testamento de Isaías: “Vai agora e escreve-o sobre uma prancheta, grava-o em um livro para que se conserve para dias futuros, para todo o sempre, porque este povo é rebelde, constituído de filhos que se recusam a ouvir a Lei do Senhor, e dizem a quem vê: Não queirais ver. E dizem aos profetas: Não tenhais visões que nos revelem o que é reto. Pelo contrário, dizei-nos coisas agradáveis, procurai ter visões ilusórias” (Is 30,8-17). Percebem como a mensagem de Isaías é contemporânea?

Antes de terminar, preciso voltar ao ponto central da nossa conversa: a queixa de Isaías não tem tom político ou social. Como o povo havia esquecido a aliança com Deus, é como se Isaías passasse o livro inteiro lembrando ao povo que o Senhor, Ele, sim, era fiel. Seu amor continua como no primeiro dia. E a resposta a esse amor fiel não podia ser outra. “Ouvi, então, a voz do Senhor que dizia: Quem é que vou enviar? Quem irá da nossa parte? Então eu respondi: Eis-me aqui, aqui estou: envia-me” (Is 6,8). Qual é a nossa resposta?

+ Dom José Francisco Rezende Dias

Arcebispo Metropolitano de Niterói



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Vídeos


Assista mais...

Audiência Geral do Papa – 28/08

A Voz do Pastor

Notícias em Destaque

Visita guiada na Igrejinha Histórica 6 casais recebem sacramento do matrimônio em casamento comunitário Assembleia Paroquial 2019: Como podemos evangelizar melhor? ENAJO - Missa de encerramento Juventude Orionita em Niterói. Evento reuniu mais de 500 jovens na Paróquia Espaço de Ludicidade e Leitura é inaugurado na Creche Dom Orione Festejando São Francisco Xavier Salão nobre da Igreja Matriz é inaugurado Missa Domingo de Ramos na Cachoeira Encerramento das Festividades de São Luis Orione Celebrando a Caridade: São Luis Orione! Festa de Natal 2016: sua doação com destino certo Festejando o dia de São Francisco Xavier Assembleia Paroquial 2016 Capela das Almas Mês Vocacional Dia dos Pais Dia do Padre Festa Junina 2016 da Paroquia São Francisco Xavier Missa em memória de Santo Antônio Festa do Imaculado Coração de Maria Festividades em Honra ao Sagrado Coração de Jesus Padre Jô visita a Paroquia e nos encanta com seu canto e seu carinho. Dia da Ascensão do Senhor, dia das Mães e 50º Dia Mundial das Comunicações Sociais. Nosso novo Pároco, padre Magno, seja bem-vindo! Batizados: os novos membros da Comunidade Paroquial Henrique: “Viver e dar a vida cantando o Amor!” Salve São Francisco Xavier, Padroeiro das Missões! Paroquianos homenageiam São Francisco Xavier Pe. Anísio fala da importância da confiança e dependência em Deus. Viva a Vida do Pe. Geraldo Dias! Romaria da Família Orionita ao Santuário de Aparecida do Norte Paroquianos participam da Romaria Arquidiocesana a Aparecida Missa na Capela Imaculado Coração de Maria: “Criai ânimo, não tenhais medo!” Missa da Ascensão do Senhor, Dia das Comunicações Sociais e Dom Orione Missa na capela São João Paulo II Festa na Capela Bom Pastor e Homilia do papa Francisco Assembleia Paroquial 2015 Missa de São Francisco Xavier Paróquia em Fests Missa de Nossa Senhora das Graças Movimento Shoenstatt unido pela Catedral O desafio da solidariedade Um dia voltado à ação social na Cachoeira Vigília Missionária, mais um passo rumo a unidade! Pascom comemora com missas o 48º Dia Mundial das Comunicações Sociais Caminhando rumo a Fraternidade Posse do Pe. Geraldo Dias, novo pároco da Paróquia. Inaugurada a Capela São Luiz Orione Pe. Jô é homenageado no “Encontro Musical” Novo endereço do site da Paróquia Novo Pároco da Paróquia São Francisco Xavier Dia de São Francisco Xavier Missa de Nossa Senhora das Graças Nossos jovens, protagonistas da história As Vocações na Igreja Semana da Família: o valor do testemunho transmitido Semana da Família 2013 Visita do Papa ao Brasil- Jornada Mundial da Juventude 2013 Missa dominical, com muitos motivos para render Graças Peregrinação da Paróquia São Francisco Xavier Cristo ressuscitou! Feliz Páscoa! Caminhada da juventude com Cristo! Primeira Missa do Papa Francisco Primeiro Angelus – Papa Francisco Habemus Papam !!! Jorge Mario Bergoglio – Papa Francisco Bento XVI comunica a sua renúncia como Papa Paroquianos acolhem o novo Vigário Paroquial Saudade-Missao-Disponibilidade Celebração Eucarística - São Francisco Xavier Festejando São Francisco Xavier Celebração Eucarística da Crisma Festa da Pastoral de Conjunto Ano da Fé Uma análise geral do Sínodo Mensagem final do Sínodo O silêncio e a nova evangelização O papel o leigo na missão da Igreja Paróquia em Ação no mês das missões Paróquia Celebra o Dia Mundial da Missões Série 50 anos do Vaticano II Dia do Catequista Paróquia realiza assembleia para a construção da unidade paroquial Semana da Família Mensagem de agradecimento aos dizimistas Pastoral da Juventude Renovada