A Voz do Pastor – out 2018

Publicado em 01/10/2018 | Categoria: A Voz do Pastor Notícias |


A carta de Deus

 

Amados irmãos e irmãs,
No mês de outubro dirigimos toda a atenção para o cerne da vida da Igreja: anunciar Jesus Cristo. É a Missão que alicerça o presente e desvenda o futuro da Igreja. Sua razão de ser se encontra com o seu propósito, seu propósito repousa na sua razão de ser.

Não há como falar nas missões sem focar naqueles a quem não foi anunciada a Luz de Cristo. Mas esses não estão do outro lado do mundo, não se encontram em nenhuma ilha exótica do Pacífico, não se vestem de penas nem dançam ao redor de algum fogo bárbaro. Não! Eles estão ao seu lado, provavelmente, à mesa com você no momento em que você ler esse texto. Aqueles que não foram banhados na Luz de Cristo, provavelmente, vestem terno-e-gravata e frequentam as praias de shorts e tênis importado.

É ao homem moderno, em seu sutil ateísmo, que é urgente anunciar essa Luz. Anunciar pode ser também lembrar e relembrar. O homem moderno é mais esquecido do que gostaria de assumir. A modernidade o preencheu de tanto, que ele se esqueceu do tudo. Ele se esqueceu de si.

O sutil ateísmo moderno é a possibilidade que o homem anda inventando para encontrar razões em meio ao esquecimento. O problema é que, dessa forma, ele apenas esquece ainda mais: esquece o que é e o que pode se tornar, de onde veio e para onde ruma sua nave perdida. O sutil ateísmo moderno roubou o homem dele mesmo. Não há dúvida que tudo ficou mais pobre. Viver o espírito missionário – anunciar a Luz de Cristo – é a única forma de devolver o homem a si mesmo e ao território do espírito, de onde ele jamais deveria ter se exilado.

Mas por que ele se exilou? É simples. Ele se exilou do território do espírito porque ele é livre, e canta a melodia do livre-arbítrio como se fosse a única que conhecesse. Como aquelas músicas que, às vezes, se fixam em nossa cabeça, obsessivamente, até quando não gostamos delas.

O homem é livre, sempre foi, sempre será. Negar isso é negar a essência do homem.

O livre-arbítrio, embora possibilite o exercício do mal, é a única coisa que torna possível todo o amor, toda a bondade, toda a alegria. Um mundo de autômatos, de homens funcionando feito máquinas, dificilmente valeria a pena ser criado. A felicidade que Deus pensou para suas criaturas mais desejadas é a felicidade de estar em união com ele e com todas as outras criaturas. Voluntariamente. Sem isso, não são livres. Para isso, precisam ser livres.

Deus sabia o que iria acontecer com a experiência do livre-arbítrio. Mesmo assim, achou que valia a pena arriscar. Muita gente se sente inclinada a discordar do raciocínio de Deus, mesmo sabendo que não poderíamos estar certos e ele, errado, como se um riacho pudesse correr contra sua própria nascente.

O fato é que Deus preferiu um mundo livre, onde as criaturas podem fazer o bem ou causar danos. Deus preferiu um mundo livre a um mundo de marionetes mexidas por um puxão de cordas, onde ele jamais poderia experimentar a força livre do nosso amor por ele.

Mas o mundo se corrompeu, e a força livre do amor perdeu seu caráter de liberdade e de força. Só há força na liberdade.

O mundo se corrompeu. O Livro do Gênesis narra, em tonalidades de poesia, o que aconteceu à nossa natureza em decorrência da queda. O que nossos ancestrais quiseram foi, justamente, ser livres, muitos mais livres, ser “como deuses”, conhecedores dos mistérios da existência. Mas quiseram tudo isso por si só e contando com a própria solidão. Como se pudessem se estruturar por si mesmos, como se tivessem se criado a si mesmos, sido seus próprios mestres, inventado sua própria ébria felicidade fora de Deus.

Dessa tentativa desesperada, composta de extravagância e ridículo, adveio tudo o que chamamos de História humana – dinheiro, pobreza, ambição, glória, guerra, classes, impérios e escravidão. E alguma pífia alegria, quase envergonhada, vivida aqui e ali, entre sombras, sobras e dores. Tem sido essa a longa carreira do homem tentando encontrar felicidade à parte de Deus.

A essa longa carreira de infortúnios o homem chamou de livre-arbítrio. E não teria como ser diferente ou ele não seria homem. É nesse mundo livre que Deus quer amado. É a esse mundo, dito, livre que é preciso anunciar a liberdade de Cristo.

Livre-arbítrio não é fazer o que se quer, mas escolher o que se quer. Não haverá certeza da liberdade de escolha enquanto não for escolhida uma luz para iluminar essa certeza. A Luz do Mistério de Cristo é a luz forte que pode iluminar nossas escolhas, nossas certezas e nosso ser.

O Mês Missionário está às portas com todas as chaves para abrir todas as portas.

O que deveríamos anunciar?

Deveríamos não ter medo de anunciar que Deus nos criou para funcionar à base dele mesmo. Ele é o combustível que nossos espíritos foram criados para queimar, o alimento do qual nossos espíritos podem se alimentar. Não há outro. Não adianta pedir a Deus para nos fazer felizes do nosso jeito, independente dele. Ele não pode nos dar paz à parte de si mesmo, porque a paz não se encontra aí. Não existe tal coisa.

Essa é a chave para entender a grande História humana e, também, nossa minúscula história pessoal. Uma energia extraordinária foi dispendida, civilizações e instituições maravilhosas foram criadas. Mas sempre despencam. Sempre um desastre qualquer faz pessoas egoístas subirem ao poder, e tudo se corrompe, tudo se torna miséria e ruína. É como um carro que anda alguns quilômetros e o motor funde por estar funcionando com combustível errado do jeito errado.

O jeito de Deus é o jeito de Cristo. O combustível de Deus é o Espírito de Cristo. Não podemos temer anunciar isso. O anúncio do cerne mantém a saúde do tronco. A medula da vida da Igreja é o anúncio de Cristo: o jeito de ser de Deus.

Neste Mês Missionário, você pode ser missionário junto daqueles de terno-e-gravata que dividem o espaço com você. Sorria, mas um sorriso diferente. Não se queixe tanto da vida, não mais que o necessário. Viva intensamente cada momento e cumpra seus deveres com gentileza. Vote consciente. E jamais se esqueça do amor.

Nós somos a carta de Deus para o mundo. Nosso primeiro dever é o de não dificultar a leitura.

Maria, Mãe e Missionária, nos ajudará a sair de casa e ir ao encontro de Isabel e de todos, escondidos nas montanhas da indiferença, do erro e do ateísmo prático do mundo moderno.

+ Dom José Francisco Rezende Dias
Arcebispo Metropolitano de Niterói

 

Fonte: Arquidiocese de Niterói



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Vídeos


Assista mais...

A Voz do Pastor

Notícias em Destaque

Salão nobre da Igreja Matriz é inaugurado Missa Domingo de Ramos na Cachoeira Encerramento das Festividades de São Luis Orione Celebrando a Caridade: São Luis Orione! Festa de Natal 2016: sua doação com destino certo Festejando o dia de São Francisco Xavier Assembleia Paroquial 2016 Capela das Almas Mês Vocacional Dia dos Pais Dia do Padre Festa Junina 2016 da Paroquia São Francisco Xavier Missa em memória de Santo Antônio Festa do Imaculado Coração de Maria Festividades em Honra ao Sagrado Coração de Jesus Padre Jô visita a Paroquia e nos encanta com seu canto e seu carinho. Dia da Ascensão do Senhor, dia das Mães e 50º Dia Mundial das Comunicações Sociais. Nosso novo Pároco, padre Magno, seja bem-vindo! Batizados: os novos membros da Comunidade Paroquial Henrique: “Viver e dar a vida cantando o Amor!” Salve São Francisco Xavier, Padroeiro das Missões! Paroquianos homenageiam São Francisco Xavier Pe. Anísio fala da importância da confiança e dependência em Deus. Viva a Vida do Pe. Geraldo Dias! Romaria da Família Orionita ao Santuário de Aparecida do Norte Paroquianos participam da Romaria Arquidiocesana a Aparecida Missa na Capela Imaculado Coração de Maria: “Criai ânimo, não tenhais medo!” Missa da Ascensão do Senhor, Dia das Comunicações Sociais e Dom Orione Missa na capela São João Paulo II Festa na Capela Bom Pastor e Homilia do papa Francisco Assembleia Paroquial 2015 Missa de São Francisco Xavier Paróquia em Fests Missa de Nossa Senhora das Graças Movimento Shoenstatt unido pela Catedral O desafio da solidariedade Um dia voltado à ação social na Cachoeira Vigília Missionária, mais um passo rumo a unidade! Pascom comemora com missas o 48º Dia Mundial das Comunicações Sociais Caminhando rumo a Fraternidade Posse do Pe. Geraldo Dias, novo pároco da Paróquia. Inaugurada a Capela São Luiz Orione Pe. Jô é homenageado no “Encontro Musical” Novo endereço do site da Paróquia Novo Pároco da Paróquia São Francisco Xavier Dia de São Francisco Xavier Missa de Nossa Senhora das Graças Nossos jovens, protagonistas da história Assembleia Paroquial 2013: Recomeçar em Jesus Cristo! As Vocações na Igreja Semana da Família: o valor do testemunho transmitido Semana da Família 2013 Visita do Papa ao Brasil- Jornada Mundial da Juventude 2013 Missa dominical, com muitos motivos para render Graças Assembleia Paroquial - 2013 Peregrinação da Paróquia São Francisco Xavier Cristo ressuscitou! Feliz Páscoa! Caminhada da juventude com Cristo! Primeira Missa do Papa Francisco Primeiro Angelus – Papa Francisco Habemus Papam !!! Jorge Mario Bergoglio – Papa Francisco Bento XVI comunica a sua renúncia como Papa Paroquianos acolhem o novo Vigário Paroquial Saudade-Missao-Disponibilidade Celebração Eucarística - São Francisco Xavier Festejando São Francisco Xavier Celebração Eucarística da Crisma Festa da Pastoral de Conjunto Ano da Fé Uma análise geral do Sínodo Mensagem final do Sínodo O silêncio e a nova evangelização O papel o leigo na missão da Igreja Paróquia em Ação no mês das missões Paróquia Celebra o Dia Mundial da Missões Série 50 anos do Vaticano II Dia do Catequista Paróquia realiza assembleia para a construção da unidade paroquial Semana da Família Mensagem de agradecimento aos dizimistas Pastoral da Juventude Renovada Festa Junina 2012 Apresentação da Pastoral do Meio Ambiente Corpus Christ Em comunhao com a Santissima Trindade Apresentacao da pascom 20 de maio 2012 Missa de Pentecostes Missa da Ascensao do Senhor Festival de Massas Comunidade Dom Orione em Festa Missa Solene em Honra a Sao Luis Orione Dia especial dupla emoção conheca-as-pastorais-da-nossa-paroquia apresentacao-das-pastorais-mesc-e-mebes missa-do-domingo-da-pascoa missa-da-ceia-do-senhor vigilia-pascal Dízimo, uma experiência de Fé CF 2012 - Momento de Reflexão Posse do novo Bispo de Niterói