A Voz do Pastor – ABR 2021

Publicado em 11/04/2021 | Categoria: A Voz do Pastor Notícias |


RESSUSCITOU, ALELUIA!

 

Cristo ressuscitou, aleluia!

Venceu a morte com amor! Aleluia!

Este é o nosso canto de vitória. Somos vitoriosos porque Ele venceu a morte. Somos triunfantes porque Ele triunfou sobre a dor. Nada supera a alegria desse renascimento. Não merecemos, mas Ele nos fez merecedores. A gratidão nos invade, a alegria toma conta do ser.

Tudo o que dizemos, hoje, se exprime em gratidão. Obrigado, Jesus de Nazaré, Filho de Deus, Cristo e Senhor de nossas vidas. Obrigado! Por vossa santíssima Paixão salvastes o mundo e a mim também!

Em Jesus, Deus morreu e ressuscitou.

Mas quem é esse que morreu e ressuscitou?

Enquanto a descrença avança e os sistemas de pensamento pretendem substituir uma fé, que para muitos já se encontra defunta, tudo leva a crer que vamos estacionar numa Sexta-Feira Santa contínua, que não permite a passagem ao Sábado Santo, muito menos à manhã radiante do Domingo da Páscoa.

Para muitos, simplesmente, Deus morreu. E não há nessa morte nenhum caráter restaurador. Para muitos, Ele simplesmente morreu, porque nós nos cansamos de mantê-lo vivo, às nossas custas. Além dos crucifixos artísticos que enfeitam nossas igrejas e frequentam muitos colares e cordões, pouco sobrou. Para um número de pessoas que ainda insiste na ideia básica e central da Redenção – Ele morreu por mim e em meu lugar – sobram muitas outras para quem a Páscoa é apenas a festa de coelhos que botam ovos. E nós ainda ridicularizamos as superstições dos povos da antiguidade, não é?

Os novos sistemas de pensamento que tentam substituir uma teologia considerada defunta, já relegada a uma espécie de curiosidade arqueológica, apenas constatam que todo o enorme edifício cristão se ergueu na tumba de um Deus, cuja morte continua sendo testemunhada por muitos. Esse ateísmo, que toma a dianteira em muitos setores da sociedade, configura uma nova visão de um mundo que deva se acostumar a viver sem Deus.

Esse ateísmo é propagado em todas as esferas e por todos os ângulos, como a morte de Deus.

Mas não é o que acabamos de celebrar? Não é o que o que o Canto da Verônica nos anuncia todo ano? Curiosamente, e desde aquela Judeia empoeirada do ano 30, constatamos a morte, mas nos custa experimentar a ressurreição.

“No primeiro dia da semana, Maria Madalena foi ao túmulo de Jesus bem de madrugada, quando ainda estava escuro. Ela viu que a pedra tinha sido retirada do túmulo. Então saiu correndo e foi encontrar Simão Pedro e o outro discípulo que Jesus amava. E disse para eles: “Tiraram do túmulo o Senhor, e não sabemos onde o colocaram” (João 20).

Pois é, os dois saíram correndo, mas também nem viram nem entenderam nada. Parece que, já naquela primeira manhã, só conseguíamos avaliar de forma concreta.

Isso nos leva a pensar no ateísmo moderno, um ateísmo tecnológico. Há hoje uma vivência religiosa, apenas na aparência, ainda colocada no leito da ortodoxia, mas traída. O “totalmente Outro” não é mais reconhecido como existente, mas como projeção e alienação. O que o ateísmo conseguiu implantar foi um relacionamento, no qual se nega toda possibilidade de relacionamento.

Nesse contexto secularizado, não mais se nega Deus: Ele não chega sequer a ser objeto de negação ou hostilidade. Nesse materialismo invasor, no qual o que era apenas previsível passou a ser descartável, a transcendência ganha contornos de vitória olímpica, e nada mais. Os santos são apenas atletas da fé que atingiram algum pódio olímpico. Tudo se tornou apenas objeto, presença concreta sujeita a representação, cálculo matemático, e apreensão científica, que tira de todo ser toda forma de mistério e ambiguidade. Não é uma pena que o homem tecnológico tenha perdido a integração mística em troca de uma certeza numérica banal, que só a matemática é capaz de dar? Não é triste que ele tenha dado a plenitude de sentido em troca apenas dos sentidos, num nivelamento que conduz ao desumano?

Esse nivelamento totalizante achatou a experiência humana.

Quando nos submetemos às exigências de produção, ao comércio do amor e da liberdade sob a tirania da mídia e do espetáculo, nada mais fizemos que correr, como os dois apóstolos, da narrativa de João, correr para concluir o que já haviam concluído, ou seja, é só a matéria que existe! Esse nivelamento pelo ponto mais baixo ainda vai matar as conquistas humanas que nos definiam como humanos.

Se não há mais lugar sequer para o humano, que dirá para Deus? Se tudo o que conseguimos em dois milênios de fé cristã foi apenas comprovar que o túmulo está vazio, o que irá sobrar de tudo? Vamos voltar a essa incrível capacidade de avaliar e valorizar o mundo pelo nível mais baixo? Então foi para isso que houve aquela Morte e aquela Ressurreição? Fazer as coisas se tornarem medíocres não são bons modos de considerar a nossa capacidade.

Queremos mais! Não queremos? Podemos mais! Não podemos?  Como, então, nos contentarmos com tão pouco! O sentido da vida está no mistério da Morte e da Ressurreição de Jesus!

Deixo aos irmãos e irmãs o meu abraço fraterno e a minha bênção. Que o Cristo Ressuscitado, vivo, atuante e eterno, nos conceda o olhar refinado da fé, capaz de descobrir a sua presença onde os outros apenas percebem os sinais da civilização e apenas recebem os restos de um amor exaurido de seu vigor.

Irmãos e irmãs: Feliz Páscoa da Ressurreição! Que ela se repita em todos os dias do ano e da vida, até o dia em que o Ressuscitado mesmo nos receber às portas do seu Reino, para nos dizer: “Esperei-te desde o início do mundo! Por que demoraste tanto?!”

Um abraço Pascal planejado e desejado, desde o início dos tempos. Que o Cristo Ressuscitado, que resplandece resplendente, ilumine as trevas do nosso coração e da nossa mente. Amém!

+ Dom José Francisco Rezende Dias
Arcebispo Metropolitano de Niterói



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Vídeos


Assista mais...

A Voz do Pastor

Notícias em Destaque

Consagração à Nossa Senhora de Guadalupe Homenagens aos nossos diáconos permanentes Homenagem aos nossos padres Visita guiada na Igrejinha Histórica 6 casais recebem sacramento do matrimônio em casamento comunitário Assembleia Paroquial 2019: Como podemos evangelizar melhor? ENAJO - Missa de encerramento Juventude Orionita em Niterói. Evento reuniu mais de 500 jovens na Paróquia Espaço de Ludicidade e Leitura é inaugurado na Creche Dom Orione Festejando São Francisco Xavier Salão nobre da Igreja Matriz é inaugurado Missa Domingo de Ramos na Cachoeira Encerramento das Festividades de São Luis Orione Celebrando a Caridade: São Luis Orione! Festa de Natal 2016: sua doação com destino certo Festejando o dia de São Francisco Xavier Assembleia Paroquial 2016 Capela das Almas Mês Vocacional Dia dos Pais Dia do Padre Festa Junina 2016 da Paroquia São Francisco Xavier Missa em memória de Santo Antônio Festa do Imaculado Coração de Maria Festividades em Honra ao Sagrado Coração de Jesus Padre Jô visita a Paroquia e nos encanta com seu canto e seu carinho. Dia da Ascensão do Senhor, dia das Mães e 50º Dia Mundial das Comunicações Sociais. Nosso novo Pároco, padre Magno, seja bem-vindo! Batizados: os novos membros da Comunidade Paroquial Henrique: “Viver e dar a vida cantando o Amor!” Salve São Francisco Xavier, Padroeiro das Missões! Paroquianos homenageiam São Francisco Xavier Pe. Anísio fala da importância da confiança e dependência em Deus. Viva a Vida do Pe. Geraldo Dias! Romaria da Família Orionita ao Santuário de Aparecida do Norte Paroquianos participam da Romaria Arquidiocesana a Aparecida Missa na Capela Imaculado Coração de Maria: “Criai ânimo, não tenhais medo!” Missa da Ascensão do Senhor, Dia das Comunicações Sociais e Dom Orione Missa na capela São João Paulo II Festa na Capela Bom Pastor e Homilia do papa Francisco Assembleia Paroquial 2015 Missa de São Francisco Xavier Paróquia em Fests Missa de Nossa Senhora das Graças Movimento Shoenstatt unido pela Catedral O desafio da solidariedade Um dia voltado à ação social na Cachoeira Vigília Missionária, mais um passo rumo a unidade! Pascom comemora com missas o 48º Dia Mundial das Comunicações Sociais Caminhando rumo a Fraternidade Posse do Pe. Geraldo Dias, novo pároco da Paróquia. Inaugurada a Capela São Luiz Orione Pe. Jô é homenageado no “Encontro Musical” Novo endereço do site da Paróquia Novo Pároco da Paróquia São Francisco Xavier Dia de São Francisco Xavier Missa de Nossa Senhora das Graças Nossos jovens, protagonistas da história As Vocações na Igreja Semana da Família: o valor do testemunho transmitido Semana da Família 2013 Visita do Papa ao Brasil- Jornada Mundial da Juventude 2013 Missa dominical, com muitos motivos para render Graças Peregrinação da Paróquia São Francisco Xavier Cristo ressuscitou! Feliz Páscoa! Caminhada da juventude com Cristo! Primeira Missa do Papa Francisco Primeiro Angelus – Papa Francisco Habemus Papam !!! Jorge Mario Bergoglio – Papa Francisco Bento XVI comunica a sua renúncia como Papa Paroquianos acolhem o novo Vigário Paroquial Saudade-Missao-Disponibilidade Celebração Eucarística - São Francisco Xavier Festejando São Francisco Xavier Celebração Eucarística da Crisma Festa da Pastoral de Conjunto Ano da Fé Uma análise geral do Sínodo Mensagem final do Sínodo O silêncio e a nova evangelização O papel o leigo na missão da Igreja Paróquia em Ação no mês das missões Paróquia Celebra o Dia Mundial da Missões Série 50 anos do Vaticano II Dia do Catequista Paróquia realiza assembleia para a construção da unidade paroquial Semana da Família Mensagem de agradecimento aos dizimistas Pastoral da Juventude Renovada