A lógica trinitária do amor

Publicado em 25/05/2018 | Categoria: Notícias |


A comunhão existente entre o Pai, o Filho e o Espírito ensinam a originalidade de comunicar, expandir, alargar, estender, difundir, dilatar, espalhar. (Reprodução/ Pixabay) 

A relação trinitária impulsiona a ir além dos preconceitos, fechamentos e limites, compreendendo que amar é verbo, ação continuada, impulso para sair do egoísmo.

 

Por Sandra Sousa*

O amor trinitário alcança toda a extensão da Terra, numa intensa dinâmica de doação e comunhão, deixando suas marcas na história humana. Deus revela-se como o divino Doador. No princípio (Gn 1,1), encontra-se a Criação, e nela, instaura de forma direta uma relação de amizade que o faz dizer livremente ao homem e a mulher: “Eu vos dou” (Gn 1,29). Todos seus benefícios se estendem na caminhada para a terra prometida, junto ao povo escolhido. Sua promessa é realizada em Jesus quando o doa a toda humanidade, manifestando o cume da autodoação no seu Sacrifício Redentor, apresentado na Ceia Pascal: “Este é o meu corpo que é dado por vós” (Lc 22,19) e realizado na Cruz como gesto extremo de amor. O Espírito Santo comunica a vida do Ressuscitado, imagem perfeita do Pai, plenitude de comunhão que retorna à Fonte original.

Assim, do grande mistério revelado na Trindade, brota a Igreja “do lado de Cristo, morto na cruz” (SC 5) e do sopro do Espírito, em forma de água (batismo) e sangue (eucaristia). Essa realidade espiritual congrega “num só corpo” os filhos e filhas de Deus, comunidade de batizados, chamados a viver a fé, atentos à Palavra, alimentados pelo Pão, enriquecendo-se uns aos outros numa intensa vida de comunhão fraterna, em busca do conhecimento profundo do Senhor, mergulhados na história com seus desafios culturais e sociais, composta de homens e mulheres em suas angústias e alegrias.

Portanto, para ver os sinais da Trindade no cotidiano da vida é necessário colocar em movimento a tríplice dimensão: o eu – pessoa que experimenta o amor trinitário; o Outro – Trindade com quem é possível relacionar-se; e os outros – a quem se é chamado a servir como consequência dessa relação amorosa.

Essa é a lógica trinitária do amor, que nasce na fonte originária do coração da Trindade. Nela, a noção de pessoa se complementa com a noção da dádiva, e os bens recebidos tornam-se visivelmente bens partilhados. Na dinamicidade de receber e doar, evidencia-se o traço fundamental da relação de amor nos seres humanos quando se dá entre iguais, nas diferenças que lhes são próprias. Dos dois lados, seja o perdão da falta alheia, ou o descer para elevar o outro ao nível em que seja possível, o mútuo intercâmbio é em pé de igualdade e comunhão. Entregar os dons é comunicar e comungar.

O contrário disso é a lógica humana dos tempos atuais, herdeira da racionalidade moderna e da subjetividade pós-moderna, voltada para si mesma e sobrecarregada de ídolos e divisões, cultivando ódios e intolerâncias. Vai na contramão da comunhão existente entre o Pai, o Filho e o Espírito, que ensinam a originalidade de comunicar, expandir, alargar, estender, difundir, dilatar, espalhar.

A relação trinitária impulsiona a ir além dos preconceitos, fechamentos e limites, compreendendo que amar é verbo, ação continuada, impulso para sair do egoísmo e mergulhar na sofrida condição humana, conscientizando-se de que “quem ama dá e comunica o que tem ou pode a quem ama. Por sua vez, quem é amado dá e comunica ao que ama” [1]. A comunhão é a substância do amor, é graça, essência do Espírito Santo. Ela acontece no nível mais profundo, que iguala as duas partes na mesma responsabilidade de se doar, sendo fusão entre a ação trinitária e a ação humana.

Essa realidade configura a pessoa humana à Trindade, dando-lhe dignidade, que mesmo em meio às maiores dores, os traços da perfeição divina são visíveis, uma com a graça, outra com a força, outra com a inteligência, a fé, a bondade, a resistência, a sabedoria, a compaixão. Todas, sem exceção, são filhas amadas do Pai, criadas por amor “à sua imagem e semelhança” (Gn 1,26). Feitas para a comunhão.

Sendo assim, o amor inquieto deve então ser o selo da vida cristã, que não se conforma com este mundo, mas empreende todas as forças na esperança de vê-lo renovado, transformado (Rm 12, 2). Trata-se do dom de si mesmo que renuncia à centralidade do ego, ao mal-uso do poder, a mesquinhez da vaidade e se transfigura em amor espontâneo, gratuito, sem motivos ou interesses, oblativo, esvaziado de si, assim como Jesus que “esvaziou-se de sua divindade” (Fl 2,1-11) e se fez servo de todos. Solidifica-se em atitudes verdadeiras que devem reger a vivência dos dons recebidos. E toda ação tem destinatários concretos, palpáveis, feridos. Por isso, a especificidade da comunhão é traduzida em um agir ético, coerente e maduro, que fecunda os desertos humanos e diviniza-os, fazendo crescer e expandir esse amor que humaniza, resgata, aproxima, unifica, move, ama com paixão e ensina a arte da doação.

[1] Exercícios Espirituais de Santo Inácio de Loyola nº 231.

*Sandra Sousa é mestra em Teologia, pela Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia.

Fonte: Dom Total


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Vídeos


Assista mais...

Audiência Geral do Papa – 28/08

A Voz do Pastor

Notícias em Destaque

Visita guiada na Igrejinha Histórica 6 casais recebem sacramento do matrimônio em casamento comunitário Assembleia Paroquial 2019: Como podemos evangelizar melhor? ENAJO - Missa de encerramento Juventude Orionita em Niterói. Evento reuniu mais de 500 jovens na Paróquia Espaço de Ludicidade e Leitura é inaugurado na Creche Dom Orione Festejando São Francisco Xavier Salão nobre da Igreja Matriz é inaugurado Missa Domingo de Ramos na Cachoeira Encerramento das Festividades de São Luis Orione Celebrando a Caridade: São Luis Orione! Festa de Natal 2016: sua doação com destino certo Festejando o dia de São Francisco Xavier Assembleia Paroquial 2016 Capela das Almas Mês Vocacional Dia dos Pais Dia do Padre Festa Junina 2016 da Paroquia São Francisco Xavier Missa em memória de Santo Antônio Festa do Imaculado Coração de Maria Festividades em Honra ao Sagrado Coração de Jesus Padre Jô visita a Paroquia e nos encanta com seu canto e seu carinho. Dia da Ascensão do Senhor, dia das Mães e 50º Dia Mundial das Comunicações Sociais. Nosso novo Pároco, padre Magno, seja bem-vindo! Batizados: os novos membros da Comunidade Paroquial Henrique: “Viver e dar a vida cantando o Amor!” Salve São Francisco Xavier, Padroeiro das Missões! Paroquianos homenageiam São Francisco Xavier Pe. Anísio fala da importância da confiança e dependência em Deus. Viva a Vida do Pe. Geraldo Dias! Romaria da Família Orionita ao Santuário de Aparecida do Norte Paroquianos participam da Romaria Arquidiocesana a Aparecida Missa na Capela Imaculado Coração de Maria: “Criai ânimo, não tenhais medo!” Missa da Ascensão do Senhor, Dia das Comunicações Sociais e Dom Orione Missa na capela São João Paulo II Festa na Capela Bom Pastor e Homilia do papa Francisco Assembleia Paroquial 2015 Missa de São Francisco Xavier Paróquia em Fests Missa de Nossa Senhora das Graças Movimento Shoenstatt unido pela Catedral O desafio da solidariedade Um dia voltado à ação social na Cachoeira Vigília Missionária, mais um passo rumo a unidade! Pascom comemora com missas o 48º Dia Mundial das Comunicações Sociais Caminhando rumo a Fraternidade Posse do Pe. Geraldo Dias, novo pároco da Paróquia. Inaugurada a Capela São Luiz Orione Pe. Jô é homenageado no “Encontro Musical” Novo endereço do site da Paróquia Novo Pároco da Paróquia São Francisco Xavier Dia de São Francisco Xavier Missa de Nossa Senhora das Graças Nossos jovens, protagonistas da história As Vocações na Igreja Semana da Família: o valor do testemunho transmitido Semana da Família 2013 Visita do Papa ao Brasil- Jornada Mundial da Juventude 2013 Missa dominical, com muitos motivos para render Graças Peregrinação da Paróquia São Francisco Xavier Cristo ressuscitou! Feliz Páscoa! Caminhada da juventude com Cristo! Primeira Missa do Papa Francisco Primeiro Angelus – Papa Francisco Habemus Papam !!! Jorge Mario Bergoglio – Papa Francisco Bento XVI comunica a sua renúncia como Papa Paroquianos acolhem o novo Vigário Paroquial Saudade-Missao-Disponibilidade Celebração Eucarística - São Francisco Xavier Festejando São Francisco Xavier Celebração Eucarística da Crisma Festa da Pastoral de Conjunto Ano da Fé Uma análise geral do Sínodo Mensagem final do Sínodo O silêncio e a nova evangelização O papel o leigo na missão da Igreja Paróquia em Ação no mês das missões Paróquia Celebra o Dia Mundial da Missões Série 50 anos do Vaticano II Dia do Catequista Paróquia realiza assembleia para a construção da unidade paroquial Semana da Família Mensagem de agradecimento aos dizimistas Pastoral da Juventude Renovada